EFERoma

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, anunciou nesta sexta-feira que 1 milhão de pessoas já receberam doses da vacina contra o coronavírus no país, quase todas funcionárias da área da saúde, e destacou que o número é o maior entre os integrantes da União Europeia.

"Um milhão de italianos receberam a vacina contra a Covid-19. Agradeço aos cidadãos e ao nosso sistema de saúde por esta resposta extraordinária", declarou o premiê em sua conta no Twitter.

Até o momento, 1.002.044 pessoas foram inoculadas. Conte enalteceu o fato de a Itália ter sido o primeiro país da União Europeia a ter recebido uma vacina depois que a Agência Europeia de Medicamentos autorizou o uso do imunizante produzido em parceria pela Pfizer e a BioNtech.

Entre os vacinados, mais de dois terços são mulheres e 754.901 trabalham na área da saúde. A região com o maior número de imunizados é Campania, cuja capital é Nápoles, com 96.817 doses injetadas, seguida por Veneto, com 96.247.

As primeiras doses de Pfizer, cerca de 10 mil, chegaram à Itália no dia 27 de dezembro, enquanto duas outras remessas chegaram desde então: 908 mil há oito dias e quase 500 mil na última terça.

O especialista do Ministério da Saúde Gianni Rezza disse hoje que uma campanha nacional de vacinação para os maiores de 80 anos começará no final deste mês ou no início de fevereiro. Em algumas regiões, como Lácio e Vale d'Aosta, pessoas desse grupo já estão sendo imunizadas.

A partir do próximo domingo, a maioria das regiões aumentará as restrições, elevando a classificação de risco epidemiológico, para tentar evitar a propagação do vírus SARS-CoV-2, que já infectou 2.336.279 pessoas e matou 80.848 em território italiano. EFE

vpv/dr