EFESan Juan

O primeiro-ministro da Jamaica, Andrew Holness, anunciou nesta quinta-feira a proibição do pouso de voos provenientes de Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Paraguai e Peru, devido ao grande número de casos de infecção pelo novo coronavírus em quase toda a América do Sul.

Em entrevista coletiva, o chefe de governo jamaicano lembrou que a alta recente no contágio na região se deve à variante brasileira do SARS-SoV-2, que provoca a Covid-19.

Além disso, Holness admitiu que a Jamaica está em "um ponto crítico, devido à pandemia".

"Estamos no meio de um surto de casos que ameaça nosso sistema de saúde pública", admitiu o premiê.

Além da proibição da chegada de voos, o governo determinou que estrangeiros que tenham passado por Brasil, Reino Unido, Chile, Peru, Colômbia, Argentina e Paraguai nos 14 dias anteriores ao desembarque, terão entrada proibida no território.

Já os jamaicanos que vierem destes países, terão entrada permitida apenas se estiverem fazendo alguma escala, se submeterem a teste de detecção do novo coronavírus e façam uma quarentena mínima de 48 horas, até que saia o resultado da prova.

Caso o teste dê negativo, será autorizada a permanência em casa, até que seja completado período de 14 dias sem contatos com outras pessoas. Se o resultado for positivo, os viajantes deverão ser isolados, desde que o local escolhido para tal, seja aprovado pelo Ministério da Saúde da Jamaica.

Desde o início da pandemia da Covid-19, a Jamaica registrou 39.237 casos de infecção pelo novo coronavírus, e 596 mortes provocadas pela Covid-19.