EFETóquio

Um japonês cuja identidade ainda é desconhecida foi detido no início deste mês na Coreia do Norte e as autoridades estão investigando detalhes sobre o caso, informou a imprensa japonesa.

Não se sabe a razão que levou o homem a entrar em um país com o qual o Japão não tem relações diplomáticas e para onde o governo desaconselha as visitas. Fontes oficiais disseram ao jornal "The Asahi Shimbun" que o indivíduo é um homem de meia-idade. O receio é de que regime de Pyongyang possa acusa-lo de espionagem.

De acordo com a publicação, uma reunião entre o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, deve ser marcada. O encontro seria para analisar os casos de pelo menos 17 japoneses sequestrados pelo serviço secreto norte-coreano entre 1977 e 1983, conforme as autoridades do Japão, apesar de Pyongyang só reconhecer uma parte. Cinco dessas pessoas já voltaram para casa, mas os outros 12 nunca chegaram à Coreia do Norte ou morreram, conforme a versão do regime.

Uma fonte do governo citada pelo mesmo jornal disse que existe a possibilidade que as autoridades da Coreia do Norte utilizem o novo caso nas negociações com Japão visando o encontro.