EFECidade do Vaticano

Mais um funcionário da Secretaria de Estado do Vaticano apresentou resultado positivo para o novo coronavírus, segundo publicou nesta sexta-feira o jornal italiano "Il Messagero", que revelou estarem sendo realizados testes em massa na cidade-estado.

Anteontem, a mesma publicação veiculou que outro funcionário da Secretaria de Estado, que vivia na residência do papa Francisco, a casa Santa Marta, foi diagnosticado com a Covid-19, doença provocada pelo patógeno.

Por causa disso, as autoridades do Vaticano determinaram a realização de testagem no maior número de pessoas possíveis. O pontífice, inclusive, passou por um segundo exame, depois do que realizou quando apresentou forte gripe, e voltou a dar negativo.

O caso revelado hoje pelo "Il Messaggero" é de um funcionário da Secretaria de Estado que não vive na residência do papa.

Oficialmente, a Santa Sé relatou a existência de quatro registros de infecções pelo novo coronavírus na cidade-estado, sendo que o publicado hoje seria o quinto. Além disso, os testes do papa Francisco nunca foram confirmados.

Segundo o jornal italiano, o pontífice teria deixado de almoçar em refeitório comum a todos da casa Santa Marta, come sozinho em seu quarto, limitou visitas, mas ainda segue recebendo pessoas em audiências privadas.

No Vaticano, a praça de São Pedro e a Basílica de São Pedro foram fechadas aos fiéis, provisoriamente, até 3 de abril, como medida preventiva. As missas celebradas pelo papa estão sendo exibidas por vídeo e já foi anunciado que será assim nas celebrações da Semana Santa.