EFECaracas

A Justiça da Venezuela ordenou na noite desta sexta-feira a libertação do jornalista alemão Billy Six, detido há quatro meses pelos corpos de inteligência sob acusações de espionagem, embora sua liberdade não seja total devido à imposição de medidas cautelares.

"Libertado o jornalista alemão Billy Six depois de quatro meses injustamente detido. Foram impostas medidas cautelares de apresentação a cada 15 dias e de proibição de falar com a imprensa sobre seu caso", informou no Twitter a ONG Espaço Público, que promove a liberdade de expressão na Venezuela.

Após a audiência de apresentação, Billy Six entrou em um veículo junto com representantes da embaixada alemã em Caracas.

Ainda não se sabe se o jornalista deixará o país ou permanecerá mais algum tempo para continuar documentando a crise venezuelana.

O jornalista alemão foi detido em meados de novembro do ano passado em uma batida em um bar do município de Los Taques, do estado de Falcón.

Six estava ali para documentar a crise econômica e a emigração de venezuelanos, fenômenos que já tinha acompanhado em dezembro de 2017 e em junho de 2018, de acordo com vídeos postados em sua conta do YouTube.

Segundo denunciou então a ONG Espaço Público, as autoridades venezuelanas encontraram no seu telefone celular uma fotografia do governante Nicolás Maduro, assim como material que consideraram "suspeito", razão pela qual o prenderam e o levaram à sede do serviço de inteligência em Caracas.

Billy Six é um jornalista, escritor e documentarista que narrou conflitos e crises de pelo menos 70 países, entre eles Líbia, Ucrânia e Síria.

Neste último país esteve detido pelas forças de segurança do Estado entre dezembro de 2012 e março de 2013, segundo revelou o próprio jornalista.