EFECairo

O número de mortes causadas pela forte explosão em Beirute aumentou para 113, informou nesta quarta-feira o ministro da Saúde do Líbano, Mohamed Hassan, enquanto os feridos se aproximam de 4 mil e dezenas de pessoas continuam desaparecidas entre os escombros.

"Foi avalizada a criação de hospitais de campanha para tratar rapidamente os feridos, e o Ministério da Saúde definirá os locais apropriados" para instalá-los, com a ajuda do Exército, disse Hassan ao término de uma reunião extraordinária do gabinete de ministros, de acordo com o canal de televisão "LBCI".

De acordo com o ministro, a ajuda médica enviada por vários países árabes e europeus terá de ser canalizada através do Ministério da Saúde e sob a supervisão do Exército quando chegar ao Líbano.

A Jordânia anunciou que enviará para Beirute, na quinta-feira, um hospital de campanha militar completamente equipado para realizar cirurgias, com 160 profissionais de saúde de todas as áreas e quase 50 leitos.

Em reunião extraordinária, o governo decretou um estado de emergência de duas semanas em Beirute, classificada como uma "zona de catástrofe".

Também foram anunciados três dias de luto oficial a partir de 5 de agosto para homenagear as vítimas de uma tragédia que devastou grandes áreas da capital libanesa e abalou o país. EFE

ta-fc/vnm