EFEAtenas

O líder do partido neonazista grego Amanhecer Dourado, Nikolaos Mijaloliakos, saiu nesta sexta-feira da prisão preventiva após cumprir os 18 meses, o limite máximo permitido pela legislação.

Mijaloliakos foi preso em setembro de 2013 acusado de direção e formação de quadrilha após a investigação do assassinato do rapper esquerdista Pavlos Fyssas por um simpatizante do Amanhecer Dourado.

O líder da formação ultradireitista permanecerá em prisão domiciliar com permissão para ir somente ao parlamento e não poderá sair do país.

Também foi posto em liberdade o deputado Yanis Lagos, que não poderá sair da Grécia nem participar de atos políticos e deverá se apresentar duas vezes ao mês na delegacia mais próxima de sua casa.

No dia 29 será posto em liberdade o "número dois" do Amanhecer Dourado, Jristos Pappas, ao completar o tempo máximo de detenção preventiva.

A direção do Amanhecer Dourado, a terceira força parlamentar da Grécia, e outros 70 militantes serão julgados por formação de quadrilha, assassinato e posse de armas em um macroprocesso judicial que começará em 20 de abril em uma sala de alta segurança da prisão de Korydalos, onde estava Mijaloliakos.

Entre os que se sentarão no banco dos réus também estará o assassino de Fyssas, Yorgos Rupakias, que já cumpre pena por este crime.

Com a libertação de Mijaloliakos e Lagos, sobram quatro deputados em prisão preventiva, entre eles o porta-voz do partido, Ilias Kasidiaris, e sua libertação é esperada para os próximos meses.

O fato de a cúpula e vários simpatizantes do Amanhecer Dourado estarem presos não diminuiu popularidade do Amanhecer Dourado, o terceiro partido mais votado nas eleições geraisde 25 de janeiro, com 6,28% dos votos.