EFERoma

Líder da Liga, partido italiano de ultradireita, Matteo Salvini disse nesta sexta-feira que "a última palavra pertence à mulher" em relação ao desenvolvimento da gravidez, ao comentar a decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos de retirar a proteção ao direito ao aborto.

"Acredito no valor da vida, do início ao fim, mas na questão da gravidez a última palavra é sempre da mulher", disse o ex-vice-primeiro-ministro da Itália em comunicado.

A Suprema Corte dos EUA derrubou nesta sexta-feira as proteções ao direito ao aborto no país, que estavam vigentes desde 1973. A decisão histórica permitirá que cada estado opte se defenderá ou proibirá o aborto.

Kentucky, Louisiana e Dakota do Sul proibiram a interrupção da gravidez pouco após o anúncio da decisão, e outros 23 estados podem fazê-lo em breve. EFE