EFENova York

A energia foi restabelecida em Manhattan após um corte de fornecimento em Nova York que durou cerca de quatro horas e que deixou 72 mil clientes sem luz, afetando a região oeste da cidade e pontos famosos como Times Square, com cenas de inquietação entre cidadãos porque linhas de metrô e teatros chegaram a fica paralisados.

O blecaute, que aconteceu depois das 20h (horário loca, 21h em Brasília), além de afetar o funcionamento do metrô, deixou muitos cidadãos presos em elevadores e até uma parte da movimentada Times Square ficou sem seus luminosos. Os semáforos também não funcionaram.

As lojas tiveram que fechar e os espetáculos da Broadway não continuaram, já que a maioria dos teatros cancelaram suas apresentações.

A companhia Con Edison informou inicialmente que cerca de 42 mil clientes estavam sem eletricidade, número que posteriormente elevou para 72 mil, sobretudo do lado oeste de Manhattan.

O Departamento de Bombeiros escreveu no Twitter que a falha no fornecimento se estendeu da rua 72 até o oeste da 40, e desde a quinta avenida até o rio Hudson.

Após mais de três horas do blecaute, a energia foi paulatinamente se recuperando e por volta da meia-noite a Con Edison informou pelo Twitter que o serviço estava normalizado.

A Câmara Municipal de Nova York tinha informado em um primeiro momento que foram afetadas principalmente as linhas de metrô A, C, F, D e M.

Posteriormente, a Autoridade Metropolitana de Transporte disse finalmente que todo o sistema foi "afetado" e que só havia um serviço limitado nas linhas 1, 2 e 3 no lado oeste; as linhas 4, 5 e 6 no lado leste; e a linha 7 entre Manhattan e Queens.

Sobre a origem do incidente, o Departamento de Bombeiros citou um incêndio de transformadores no oeste da rua 64. Também havia "fumaça em vários prédios no lado oeste", segundo os bombeiros. EFE

ce/ma

(foto) (vídeo)