EFEParis

O presidente da França, Emmanuel Macron, está nos arredores de Notre-Dame, em Paris, para acompanhar o trabalho dos bombeiros contra o incêndio deflagrado na catedral pouco antes das 19h (horário local, 14h de Brasília) desta segunda-feira.

Macron, que estava acompanhado pelo primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, se reuniu com os chefes dos bombeiros, segundo informou a emissora "BFMTV".

Outros membros de seu governo, entre eles a ministra da Defesa, Florence Parly, o titular de Cultura, Franck Riester, e o secretário de Estado de Interior, Laurent Núñez, também se deslocaram ao posto de comando de onde supervisionam as operações.

Antes de chegar à catedral, Macron decidiu adiar um discurso importante que seria transmitido pela televisão às 20h (15h) e no qual se esperava o anúncio de medidas para tentar acabar com a crise dos "coletes amarelos", que já dura cinco meses.

Em uma primeira mensagem na sua conta do Twitter, o presidente francês manifestou a "emoção de toda uma nação" pelo incêndio e acrescentou que estava pensando em todos os católicos e todos os franceses.

"Como todos nossos compatriotas, estou triste esta noite ao ver se queimar uma parte de nós", lamentou Macron. EFE

ac/rsd