EFEIstra (Moscou)

O meio-campo da seleção da França Blaise Matuidi afirmou nesta sexta-feira que a final da Copa do Mundo no domingo, que vai acontecer no estádio de Luzhniki, em Moscou, é visto por todos os 'bleus' como a partida de suas vidas.

Em entrevista coletiva realizada na cidade de Istra, o jogador da Juventus da Itália ressaltou que "jogar uma final da Copa do Mundo é um sonho que se torna realidade".

Os franceses enfrentam na final a surpresa dessa Copa, a Croácia.

Nesse duelo definitivo pelo título mundial de futebol, segundo reconheceu o meio-campo francês, "a pressão existe, ela deve existir, mas deve ser positiva e não deve nos inibir", ressaltou.

Nesse sentido, Matuidi se mostrou confiante em que serão capazes de exibir seu jogo e manter "o alto nível mostrado em todos os jogos de eliminação direta", em relação às equipes de Argentina (4-3), Uruguai (2-0) e Bélgica (1-0).

Matuidi, peça certa do técnico Didier Deschamps na seleção principal, reconheceu que se sente "bem", no seu melhor momento profissional.

Isso é o que espera de todos seus companheiros em um jogo no qual a seleção francesa buscará o segundo título da sua história, após o de 1998.

"Deschamps criou uma equipe à sua própria imagem e acredito que isso é importante", comentou Matuidi ao ser perguntado pelo treinador. "Está tentando recriar seu glorioso passado como jogador e até agora tudo está funcionando. Não é casualidade", afirmou o meio-campo.

Entre as virtudes do time francês, Matuidi destacou a defesa e a capacidade de fazer "ataques muito rápidos" depois de roubar a bola.

Das críticas, que considera "injustas", o jogador defendeu o atacante Olivier Giroud: "Fez muito pelo grupo. Para nós é um grande jogador e estamos contentes pela Copa do Mundo que está fazendo. Tem essa pequena frustração de não conseguir fazer gol, mas não tem importância quando a equipe vence. O seu trabalho é muito importante, tanto ofensiva como defensivamente".

Matuidi também destacou a contribuição dos meias N'Golo Kanté e Paul Pogba, a segurança de Benjamin Pavard e Lucas Hernández nas laterais e a explosão de Kylian Mbappé.