EFELondres

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou nesta sexta-feira que, após a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), seu país e os Estados Unidos buscarão um acordo comercial "ambicioso".

Após a reunião com o presidente americano, Donald Trump, na residência de Chequers, os dois líderes ofereceram uma entrevista coletiva conjunta na qual May afirmou que Trump concordou em buscar um acordo, apesar de ameaçar fazer o contrário, de acordo com informações publicadas hoje no jornal "The Sun".

"Não haverá limites na nossa possibilidade de estabelecer acordos comerciais com todo mundo quando abandonarmos a UE, sobre a base do acordo de Chequers que remetemos à UE", afirmou a primeira-ministra.

Desta forma, a chefe do Executivo britânico defendeu o acordo que motivou a renúncia de dois dos seus principais ministros, que entendiam que com ele o Reino Unido fica submetido à UE.

May também aproveitou a ocasião da visita de Trump para agradecer pelo apoio contra a Rússia após o ataque ao ex-espião Sergei Skripal e sua filha, Yulia, em março deste ano, após o qual o presidente americano expulsou 60 diplomatas russos dos EUA.

A primeira-ministra adiantou que, durante sua reunião com Trump, os dois conversaram sobre o encontro que este terá com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, na próxima segunda-feira, em Helsinque.

May aconselhou Trump a comparecer à reunião com uma "posição de força" e com união no seio da Otan.