EFEPangshang (Mianmar)

O governo de Mianmar concedeu nesta quarta-feira uma anistia a quase 10 mil presos, conforme anunciou o presidente do país, Win Myint, sem que entre os beneficiados estejam os jornalistas da Reuters presos por revelar um massacre de rohingyas.

"Com objeto de ter um ano novo pacífico e para honrar os valores humanitários, foram libertados 9.535 presos e serão libertados mais à medida que as investigações avancem", aponta comunicado do Escritório da Presidência, que faz referência a data comemorativa do calendário budista de Mianmar.