EFEBeirute

A ministra da Justiça do Líbano, Marie Claude Najem, renunciou ao cargo nesta segunda-feira, o que eleva para três o número de integrantes do governo de Hassan Diab que se demitiram desde a explosão ocorrida na semana passada no porto de Beirute.

A titular da pasta entregou uma carta formal de entrega do cargo, em que justifica a saída pelo "desastre" e também pelos conflitos nas ruas, em protestos contra o governo iniciados, justamente, depois da tragédia da última terça-feira.

"A profunda crise e a situação excepcional que presencia a pátria, nos impõe a recorrer à vontade do povo. Já há uma iniciativa para aprovar um projeto de lei que reduzisse o mandato do Parlamento atual e fossem convocadas eleições antecipadas" diz o texto.

Najem foi um dos principais alvos dos protestos populares, depois da explosão no porto, que matou 158 pessoas e deixou outras 6 mil feridas. Durante ato público, a então ministra da Justiça chegou a sofrer hostilidades nas ruas,

Antes dela, também renunciaram aos cargos, Manal Abdel Samad, que era titular da pasta de Informação; e Damianos Kattar, do Meio Ambiente.

Além disso, um dia antes da explosão, ainda houve a renúncia de Nassif Hitti, então ministro de Relações Exteriores, que anunciou discordâncias com a atuação do governo e que o país caminha para se tornar um "estado falido".