EFESydney (Austrália)

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, anunciou neste sábado mudanças na lei de posse de armas, depois do atentado ocorrido ontem contra duas mesquitas de Christchurch, que deixou 49 mortos.

"Enquanto seguem os trabalhos para esclarecer a sequência de fatos que levaram à posse da licença de armas, posso assegurar uma coisa: nossas leis de armas irão mudar", disse a premier, em entrevista coletiva.

A mandatária indicou que o detido pelo ataque, o australiano Brenton Tarrant, de 28 anos, estava em posse de cinco armas, incluindo duas semiautomáticas, que comprou depois de obter a licença correspondente em novembro de 2017.

Jacinda Ardern afirmou que diante desta situação haverá uma "resposta rápida" de seu governo e assegurou que a proibição da posse de armas semiautomáticas é "sem dúvida uma das questões que considero com efeito imediato".

O acusado, definido como um "terrorista extremista de extrema direita" e que não tinha antecedentes criminais, compareceu hoje ao tribunal de Christchurch onde foi acusado de assassinato.

Outras duas pessoas permanecem sob custódia policial enquanto é investigado o envolvimento delas no atentado.