EFENova York

Um novo Observatório Internacional de Informação e Democracia foi lançado nesta sexta-feira em Nova York, em um evento da Assembleia Geral das Nações Unidas, com a presença de dezenas de ministros de Relações Exteriores, incluindo o francês Jean-Yves Le Drian, e figuras proeminentes da sociedade civil.

O anúncio é o último resultado de uma iniciativa lançada há três anos pelos Repórteres sem Fronteiras (RSF) para propor e implementar medidas para salvaguardar o ambiente global de informação e comunicação e combater todos os exemplos de desinformação.

O órgão, impulsionado pelo Fórum de Informação e Democracia, será copresidido por enquanto pela destacada socióloga Shoshana Zuboff, professora emérita da Harvard Business School, e pelo ex-secretário geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Ángel Gurría.

Em seu discurso de abertura, o presidente do Fórum de Informação e Democracia, Christophe Deloire, que também é secretário-geral da RSF, explicou que o futuro observatório desempenhará um papel equivalente no campo da democracia ao do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) na salvaguarda do meio ambiente.

O observatório realizará avaliações regulares do campo de notícias e informações, o que permitirá aos governos e sociedades democráticas compreender claramente os fenômenos que podem estar ocorrendo em sua esfera e como eles podem estar impactando a democracia.

Além do anúncio do novo órgão, foram realizadas algumas discussões, com especial referência às recomendações apresentadas pelo Fórum de Informação e Democracia em dois de seus relatórios: "Como acabar com as infoepidemias" (2020) e "Um novo acordo para o jornalismo" (2021).

Entre os presentes estavam o secretário-geral da OCDE, Mathias Cormann, a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Audrey Azoulay, e a vice-presidente para Valores e Transparência da Comissão Europeia, Vera Jourova.