EFEGenebra (Suíça)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou nesta terça-feira que está estudando os dados de eficácia do molnupiravir, medicamento por via oral contra a covid-19 desenvolvido pela companhia farmacêutica MSD.

A informação foi divulgada pouco depois que a empresa entrou com pedido de uso emergencial nos Estados Unidos.

"É um progresso interessante, embora ainda temos que ver os dados completos. Poderia ser uma nova arma na luta contra a pandemia", afirmou Christian Lindmeier, porta-voz da OMS, em entrevista coletiva concedida na sede da agência, em Genebra, na Suíça.

Os comprimidos da MSD, se aprovados, poderiam se tornar o primeiro tratamento oral contra a covid-19, sendo mais simples de ser utilizado do que outros intravenosos.

Além disso, é o primeiro desenvolvido com foco nos casos mais leves da doença provocada pelo novo coronavírus, que não requerem, a princípio, em internação hospitalar.

Lindmeier, no entanto, destacou que vacinas e remédios não são as únicas armas atuais contra a covid-19, destacando a necessidade da manutenção do uso de máscara e do distanciamento físico entre as pessoas, especialmente, nos casos em que não há acesso aos medicamentos.

Após apresentar pedido de uso emergencial à agência reguladora de produtos farmacêuticos e alimentos dos Estados Unidos (FDA), a MSD indicou em comunicado que se submeterá ao mesmo procedimento em outros países nos próximos meses.

No início deste mês, a companhia farmacêutica divulgou que as análises preliminares que realizou indicaram que o molnupiravir reduzia em 50% o risco de hospitalização ou de morte entre pacientes com covid-19. EFE