EFENações Unidas

A Secretaria-Geral da ONU afirmou nesta quinta-feira que continuará trabalhando com o governo da Venezuela durante o segundo mandato de Nicolás Maduro e ressaltou que não é sua tarefa reconhecer ou não reconhecer chefes de Estado.

"Vimos as decisões tomadas por um número de países. O secretário-geral, a Secretaria, não nos dedicamos a reconhecer chefes de Estado ou a não reconhecer chefes de Estado", disse o porta-voz Stéphane Dujarric na sua entrevista coletiva diária.

Dujarric respondeu assim ao ser perguntado pela postura de vários governos latino-americanos, dos Estados Unidos e da União Europeia, que repudiaram a posse de Maduro.

Segundo o porta-voz, a ONU está acompanhando de perto a situação e, como princípio, sempre é favorável ao diálogo e, especificamente, ao diálogo regional.

"Nós continuaremos trabalhando com o governo da Venezuela, notavelmente no marco de assistência ao desenvolvimento, em alimentação, saúde, segurança e nutrição", ressaltou Dujarric.

O porta-voz lembrou que o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu repetidamente um "diálogo político inclusivo" na Venezuela e apoiou iniciativas nesse sentido.

"O secretário-geral segue disponível para ajudar de qualquer forma", assegurou.

Nicolás Maduro tomou posse hoje de seu segundo mandato que o manterá no poder na Venezuela até 2025, em meio a acusações de ilegitimidade pela forma como conseguiu a reeleição.

A legitimidade do segundo mandato de Maduro foi questionada pela oposição venezuelana e vários governos estrangeiros, que não reconhecem os resultados das eleições de maio do ano passado, nas quais foi reeleito com cerca de 70% dos votos.