EFEDubai

Vários países árabes anunciaram nesta quarta-feira o envio de suprimentos médicos e ajuda ao Líbano, após a grande explosão que abalou ontem a capital Beirute e devastou bairros inteiros, deixando pelo menos 113 mortos e mais de 4 mil feridos.

Um avião transportando 40 toneladas de suprimentos e equipamentos médicos deverá deixar hoje Dubai, a partir de um centro de logística de agências da ONU e organizações humanitárias internacionais localizadas neste emirado e que serve toda a região.

Enquanto isso, o primeiro avião militar com "assistência médica urgente" partiu hoje do Catar para o aeroporto Rafic Hariri, em Beirute, seguindo instruções do emir Tamim bin Hamad al-Thani.

De acordo a agência oficial de notícias "QNA", o Catar estabeleceu uma "ponte aérea" para Beirute com o objetivo de enviar "toda a assistência e suprimentos médicos necessários" nos próximos dias.

Também do Golfo Pérsico, o Kuwait ordenou o envio de "assistência médica urgente para os irmãos no Líbano".

Da mesma forma, a Jordânia também enviará um hospital militar de campanha para Beirute, depois de declarar três dias de luto oficial pelas vítimas da explosão devastadora que destruiu bairros inteiros da capital libanesa.

O hospital chegará amanhã e estará totalmente equipado para realizar cirurgias, com 160 profissionais de saúde de todos as áreas para poder cuidar dos feridos, segundo a agência de notícias oficial do reino, "Petra".

O Irã mostrou hoje sua vontade de enviar assistência médica e qualquer tipo de ajuda que o país necessite no momento, sem especificar.

Vários países europeus também ofereceram assistência e apoio humanitário, médico ou técnico, com o envio de equipamentos, especialistas, material ou ajuda de emergência.