EFECidade do Panamá

O Panamá aprovou nesta sexta-feira o uso emergencial da CoronaVac, vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, para acelerar o processo de imunização no país, iniciado em 20 de janeiro.

A aprovação representa "mais uma oportunidade para que mais pessoas possam ser imunizadas e, em algum momento, seja obtida a imunidade do rebanho", disse Elvia Lao, diretora nacional do Departamento de Farmácia e Medicamentos do Ministério da Saúde panamenho.

Em 1º de abril, o governo do país centro-americano também aprovou o uso emergencial da vacina russa Sputnik V.

Com 4,2 milhões de habitantes, o Panamá já definiu a compra de 7,2 milhões de doses de diferentes vacinas. Até agora foram aplicadas pelo menos 456.929 doses do imunizante produzido pela Pfizer, o único que já chegou ao país, que é o terceiro das Américas com a maior proporção de pessoas vacinadas, de acordo com um relatório recente da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

O Panamá também anunciou que usará vacinas das farmacêuticas AstraZeneca e Johnson & Johnson e as fornecidas pelo mecanismo internacional Covax.

O país registrou 357.704 casos de covid-19 e 6.152 mortes pela doença desde o início da pandemia do novo coronavírus.