EFEIslamabad

As autoridades do Paquistão aumentaram para 35 o número de mortes no acidente de um avião Airbus A320 da empresa estatal Pakistan International Airlines (PIA), que caiu nesta sexta-feira em uma área residencial da cidade de Karachi, no sul do país, com 91 passageiros e oito tripulantes a bordo.

"Até agora 35 corpos foram recuperados", disse à Agência Efe, Meeran Yusuf, porta-voz do Departamento de Saúde da Província de Sindh, da qual Karachi é a capital.

Ele afirmou que pelo menos três passageiros foram resgatados vivos e estão internados em condições estáveis em hospitais.

Além disso, oito outros feridos - moradores da área onde caiu o avião -, metade deles com queimaduras em 60% de seus corpos.

"Do total de mortos, apenas quatro foram identificadas. Testes de DNA serão realizados para identificar os corpos", disse Yusuf.

O porta-voz observou que as operações de resgate estão em andamento.

O avião caiu no início da tarde, muito perto do aeroporto da capital econômica do Paquistão e no primeiro dia das festas pelo fim do Ramadã.

"Ele caiu perto do aeroporto de Karachi. Estava a um minuto do aeroporto e caiu em uma área residencial", disse à Efe, o porta-voz da Autoridade de Aviação Civil do Paquistão, Abdul Sattar.

O porta-voz informou inicialmente à Efe que 107 pessoas estavam viajando no avião, mas depois reduziu o número para 99.

O diretor-executivo da PIA, Arshad Malik, disse em um vídeo enviado aos meios de comunicação local que o piloto da aeronave, que viajava de Lahore para Karachi, avisou que estava enfrentando problemas técnicos ao se aproximar da pista de pouso.

O escritório de Comunicação do Exército do Paquistão (ISPR), em um comunicado, informou que enviou helicópteros e tropas para a área do acidente para realizar operações de resgate.

O primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan, lamentou o acidente e anunciou uma investigação para esclarecer as causas.

"Entristecido pelo acidente da PIA. Uma investigação será iniciada imediatamente. Orações e condolências pelas famílias dos mortos", escreveu o mandatário no Twitter.

O país asiático viveu uma de suas piores tragédias aéreas em 2012, quando 138 pessoas morreram em um acidente de avião perto de Islamabad.

Em dezembro de 2016, outro acidente matou 48 pessoas em uma viagem entre Chitral (norte) e Islamabad.