EFEVarsóvia

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, lembrou nesta quarta-feira, no início de uma visita à Polônia, que a Otan precisa de "investimento" e que cada membro "respalde com o seu compromisso com a defesa comum".

"A Otan se baseia na solene promessa de que um ataque contra um dos seus membros é um ataque contra todos, mas este juramento requer preparação, investimento e que cada membro da Aliança respalde com o seu compromisso com a nossa defesa comum", disse Pence após chegar a Varsóvia, onde foi recebido pelo presidente da Polônia, Andrzej Duda.

O vice-presidente americano ressaltou a grande "amizade" entre a Polônia e os EUA, e afirmou que seu país e a Otan "estarão sempre ao lado do povo polonês".

Pence também lembrou as palavras do presidente dos EUA, Donald Trump, há dois anos em Varsóvia: "O Ocidente nunca será derrotado, nossos valores prevalecerão, o nosso povo prosperará e a nossa civilização triunfará".

Por sua vez, Duda afirmou que as tropas polonesas "sempre lutarão em defesa de uma Polônia livre e de um mundo livre".

A visita de Pence acontece dias depois que Varsóvia anunciou a compra de um sistema de mísseis no valor de mais de US$ 400 milhões, dentro do seu plano para modernizar as Forças Armadas, sobretudo com a aquisição de novo equipamento militar de fabricação americana.

A Polônia espera que sua lealdade aos EUA sirva para que Trump decida enviar mais soldados a território polonês e que, no futuro, aceite instalar uma base militar permanente, apesar das reservas que isso provoca na Rússia.

Segundo veículos de imprensa locais, a Casa Branca pode decidir em breve aumentar o número de militares americanos na Polônia até 7 mil soldados, cuja presença seria rotatória (como até agora) e não estável.

Por sua vez, o governo polonês estaria disposto a pagar até US$ 2 bilhões para contar com a citada base militar, que seria chamada de "Forte Trump" em homenagem ao presidente americano.

Em Varsóvia, Pence, que chegou acompanhado de sua esposa, visitará alguns lugares históricos relacionados com a II Guerra Mundial e participará da conferência sobre o Oriente Médio.

Na sexta-feira, o vice-presidente dos EUA visitará junto a Andrzej Duda o antigo campo de concentração nazista de Auschwitz.