EFERiad

Os fiéis que participarem da grande peregrinação do hajj, à Meca, não poderão beijar ou tocar a Caaba ou a Pedra Negra, os locais sagrados mais importantes do Islã dentro da mesquita, segundo divulgou nesta segunda-feira o governo da Arábia Saudita.

As proibições são uma forma de evitar a propagação do novo coronavírus, que provoca a Covid-19. De acordo com a agência de notícia "SPA", barreiras de segurança foram colocadas no entorno da Caaba, que é uma construção em forma de cubo, em que está cravada a Pedra Negra, como forma de impedir o acesso.

As medidas foram elaboradas pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças do país.

Além das restrições, serão instalados pontos de controle em todas as entradas da Meca, inclusive nas paradas de ônibus e no pátio da mesquita, para medir a temperatura de cada fiel. Todos dentro do templo, inclusive, deverão usar máscara.

Os casos considerados suspeitos de infecção pelo novo coronavírus deverão passar por uma avaliação médica antes de serem autorizados a participar da peregrinação, com grupos especiais.

Foram permitidas as orações em grupo, sob rígidas medidas de prevenção. Todas as almofadas foram retiradas, para que cada fiel utilize a própria.

O governo da Arábia Saudita anunciou em 22 de junho que haveria limitação na peregrinação à Meca, com expectativa de milhares de pessoas, contra 2,5 milhões registradas no ano passado.