EFESarajevo

Personalidades e lideranças civis de Sarajevo assinaram uma carta enviada para as autoridades da capital da Bósnia, cobrando medidas contra a propagação do novo coronavírus, segundo informou a emissora de televisão local "TVSA".

O texto elaborado pelo grupo exige decisões "adequadas e indispensáveis" para frear a expansão do patógeno.

Sarajevo, com cerca de 500 mil habitantes, é uma das regiões da Bósnia mais afetadas pela Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. Nas últimas 24 horas, segundo balanço divulgado hoje, foram 32 casos de infecção.

Isso representa mais de 10% do contágio de todo o país, que tem variado entre 200 e 300 diariamente.

Além disso, de acordo com o boletim apresentado hoje pelas autoridades bósnias, foram registradas mais 22 mortes, maior número desde o início da pandemia da Covid-19. O jornal "Oslobodjenje" classificou a situação do país como de "alerta vermelho".

Na carta endereçada às autoridades, é exigido que medidas sejam adotadas "de imediato", como multas para quem não usa máscaras, proibição de aglomerações de mais de dez pessoas, entre outras.

Apesar do foco do documento ser para a situação de Sarajevo, o posicionamento dos signatários é que a atuação seja reforçada em todo o território da Bósnia, que totaliza 14.708 casos de infecção e 447 mortes em decorrência da Covid-19.