EFEBangcoc

A polícia da Malásia confiscou, nesta sexta-feira (data local), 72 sacos com dinheiro, joias e outros objetos de valor após uma operação na residência do ex-primeiro-ministro, Najib Razak, vinculado ao caso de corrupção do fundo estatal 1Malaysia Development Berhad (1MDB).

O chefe do Departamento de Investigação de Crimes Comerciais da Polícia (CCID), Amar Singh Ishar Singh, disse que também levaram 284 caixas com bolsas de marcas de luxo da casa de Najib, afastado do poder após perder as eleições na semana passada.

"O CCID inspecionou seis lugares relacionados com a investigação do 1MDB: o escritório do primeiro-ministro, a residência oficial e outras quatro casas", disse Amar Singh, segundo a agência de notícias "Bernama".

O diretor do CCID afirmou que os registros, que começaram na noite da última quarta-feira, foram realizados de forma simultânea e que os agentes não encontraram nenhuma oposição ao realizá-los.

Além dos artigos de luxo, cujo valor não pôde ser quantificado inicialmente devido ao seu volume, a polícia apreendeu vários documentos que, segundo a investigação, estariam relacionados com 1MDB.

Amar Singh disse à imprensa que os agentes seguiam trabalhando para abrir um cofre encontrado na residência de Najib, localizada em um bairro exclusivo de Kuala Lumpur.

Após vencer as eleições do último dia 9, o novo primeiro-ministro, Mahathir Mohamad, deu a ordem para que Najib e sua esposa, Rosmah Mansor, suspeitos de corrupção, deixassem o país.

Em 2015, uma reportagem revelou o desvio de US$ 681 milhões do 1MDB para as contas privadas de Najib, que negou as acusações e atribuiu o dinheiro a uma doação de um príncipe saudita.

O ex-líder foi inocentado de qualquer irregularidade tanto pelo 1MDB como pelo procurador-geral Mohammed Apandi Ali, mas esta semana o fundo desclassificou um relatório que admitia irregularidades e o antecessor de Apandi disse que foi retirado do cargo quando preparava as acusações contra Najib.