EFEMadri

Agentes da polícia espanhola detiveram 39 pessoas em Madri, a maioria pertencente à gangue latina "Dominican Don't Play", enquanto também há vários integrantes da "Ñetas" e dos "Trinitários", como supostos responsáveis por cinco roubos seguidos de violência e outros dois delitos.

A investigação, segundo informa a polícia, começou quando foi constatado a possível participação de grupos latinos em vários roubos violentos que seguiam o mesmo padrão, independentemente do grupo ao qual pertencia os jovens.

Os detidos, 28 maiores de idade e 11 menores, iniciavam uma conversa amigável com pessoas sozinhas ou em pequenos grupos, enquanto outros integrantes da guangue se aproximavam até rodear as vítimas; nesse momento as jogavam no chão, batiam violentamente e roubavam seus pertences.

Alguns tiveram que receber assistência médica por graves lesões causadas por armas brancas.

A sede da polícia de Madri estabeleceu um dispositivo de segurança específico e os agentes localizaram uma casa em um distrito popular de Madri ocupada por membros da "Dominican Don't Play" que era utilizada como "moradia" e lugar de reunião e captação de novos integrantes da banda.

No começo deste mês de julho, a casa foi revistada, vários integrantes foram presos e diversas armas brancas de grandes dimensões, além de outros "elementos contundentes com uma grande capacidade para lesão", aponta a polícia.

Os 28 detidos maiores de idade foram postos à disposição da autoridade judicial, enquanto os menores foram transferidos à Promotoria de Menores.

A polícia destaca que as investigações seguem abertas, por isso que não foram descartadas novas detenções.