EFEGuadalajara (México)

As autoridades de Jalisco, no oeste do México, encontraram os corpos de sete pessoas abandonados em três caminhonetes, informaram nesta quarta-feira fontes da Procuradoria-Geral do estado.

De acordo com as fontes, os corpos tinham ferimentos de arma de fogo e foram abandonados em uma vala entre os municipios de Tonalá e Zapotlanejo.

A partir de um telefonema anônimo, a polícia municipal foi até o local, onde encontrou uma caminhonete com três cadáveres dentro. Além de duas outras, cada uma com dois corpos. Todos os carros tinham placas de outros estados do México.

A Procuradoria-Geral da República detalhou que todos os corpos são de homens e têm ferimentos de bala. Peritos do Instituto Médico Legal (Semefo) retiraram os corpos para a realização da autópsia.

A descoberta foi feita horas antes de o governador Enrique Alfaro entregar seu primeiro relatório do governo, no qual informou que mais de 70% dos homicídios cometidos no estado estão "ligados ao crime organizado".

O estado é um dos locais com maior presença do Cartel de Jalisco Nova Geração, liderado por Nemesio Oseguera Cervantes, conhecido como 'El Mencho'. O grupo é classificado pelas autoridades mexicanas como a maior organização criminosa do país, acima do Cartel de Sinaloa, enfraquecido após a queda do líder, El Chapo'.

O México vive uma onda de violência sem precedentes há anos e, segundo dados oficiais, houve 25.890 assassinatos entre janeiro e setembro, 2,4% a mais que no mesmo período do ano passado.

Se o ritmo for mantido, o México encerrará 2019 como o ano mais violento desde o início dos registros, apesar dos esforços do governo para fortalecer a estratégia de segurança.