EFEIstambul

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta terça-feira que a polícia do país está analisando "substâncias tóxicas" e "coisas que foram eliminadas com pintura por cima" encontradas durante a inspeção no consulado da Arábia Saudita em Istambul para investigar o caso do jornalista desaparecido Jamal Khashoggi.

"Há uma investigação sobre o que são e o que não são algumas coisas que foram eliminadas com pintura por cima, substâncias tóxicas, etc.", disse Erdogan à imprensa após um discurso no parlamento, segundo o jornal "Cumhuriyet".

O presidente resumiu assim a inspeção policial do consulado iniciada ontem pela tarde e concluída durante a madrugada de hoje, na qual a polícia turca retirou do recinto dois veículos com possíveis evidências, segundo a imprensa turca.

"Agora começou o processo de inspeção do consulado, resultado dos intensos contatos (diplomáticos com a Arábia Saudita) que realizamos", disse Erdogan.

"Ontem houve um trabalho intenso até a madrugada, e este trabalho continuará. O nosso desejo é que daí saia um resultado que nos permita formar uma opinião", acrescentou o presidente.

A imprensa turca assinalou que a polícia também quer inspecionar hoje a residência do cônsul, que fica a aproximadamente 200 metros do consulado.

As câmeras de vigilância registraram que, horas depois que Jamal Khashoggi entrou no consulado em 2 de outubro, um comboio de seis veículos, entre eles uma van com os vidros escuros, saiu do consulado e entrou na residência do cônsul.