EFEVarsóvia

Um ativista neonazista sueco foi expulso da Polônia, para aonde se mudou como objetivo de receber treinamento paramilitar e aprender a manusear o mesmo tipo de arma que Brenton Tarrant utilizou em ataques contra duas mesquitas na Nova Zelândia, em março deste ano, afirmaram nesta quinta-feira as autoridades de Varsóvia.

O cidadão sueco, identificado apenas como Anton T., é membro do Movimento de Resistência Nórdica, uma organização classificada de neonazi pela polícia sueca e que "visa criar uma República Nacional-Socialista no Norte da Europa através de uma revolução", disse o porta-voz do Ministério do Interior da Polônia, Stanislaw Zaryn.

Anton, segundo o porta-voz, já foi condenado por um tribunal sueco a um ano e meio de prisão acusado de ser cúmplice em um ataque com bombas caseiras perpetrado contra vários lugares, entre eles um asilo em Gotemburgo, na Suécia.

O neonazista "veio à Polônia para treinamento paramilitar, durante o qual pretendia aprender a usar o mesmo tipo de arma utilizada por Brenton Tarrant, autor de ataques contra duas mesquitas em Christchurch, Nova Zelândia", disse Zaryn.

Em março deste ano, Tarrant, um australiano de supremacista branca, atacou duas mesquitas nesta cidade no sul da Nova Zelândia, deixando 50 mortos.