EFEPorto Príncipe

O primeiro-ministro do Haiti, Ariel Henry, prometeu nesta terça-feira, quando completa um mês do devastador terremoto que deixou pelo menos 2.248 mortos e 690 mil afetados, não desistir da reconstrução do sul do país.

Em uma série de mensagens no Twitter, Henry prometeu às vítimas que "chegou a hora de recuperação e reconstrução" após o terremoto que "deixou a península meridional de joelhos".

"Nada e nem ninguém, nem mesmo ameaças de todos os tipos, incluindo ataques físicos, vão nos distrair de nossa vontade inabalável e infalível para esta reconstrução coletiva, para a felicidade de todas as crianças e todos os filhos de nossa nação", disse Henry.

O terremoto de magnitude 7,2 na escala Ritcher atingiu o sudoeste do Haiti em 14 de agosto, causando danos incalculáveis em toda a península sul do país.

De acordo com o balanço oficial mais recente, divulgado na semana passada, 2.248 pessoas morreram e outras 329 continuam desaparecidas, enquanto 12.763 ficaram feridas.

O terremoto destruiu 53.815 casas e danificou outras 83.770, o que levou 26.245 pessoas a serem alojadas em 65 abrigos informais, segundo dados da Organização Internacional da ONU para as Migrações (OIM).

Também houve grandes danos em estradas, quatro portos e 62 centros médicos, enquanto 171 escolas ficaram completamente destruídas e outras 566 parcialmente danificadas.