EFENursultan

O presidente do Cazaquistão, Kasim-Yomart Tokayev, fez um alerta nesta quarta-feira sobre a presença excessiva do Estado na economia do país, em pronunciamento feito à nação no dia do início da nova legislatura.

A presença excessiva do Estado na economia dificulta fortemente seu crescimento e competitividade, e leva à corrupção e ao lobby ilegal, disse o chefe de governo.

Tokayev ainda afirmou que as empresas estatais continuam dominando muitos setores e também gozam de privilégios monopolistas.

"Temos começado a resolver estes problemas. A administração pública prevê medidas para reduzir o setor paraestatal e elevar sua eficácia e transparência", detalhou o presidente cazaque.

Além disso, Tokayev anunciou que o Conselho Supremo de Reformas, um órgão que ele mesmo lidera, aprovou um novo plano de privatização.

"Agora, o que precisa ser feito é controlar que seja cumprido rigidamente", disse.

O presidente do Cazaquistão destacou que todos que manifestam dúvidas sobre a política que implementa ou se recusam a cumprir as instruções que ele dá, "devem abandonar seus cargos".

"Estamos entrando em uma etapa decisiva de nosso desenvolvimento. O aparato do Estado deve funcionar como um só mecanismo", garantiu.

O chefe de governo ainda criticou o próprio Executivo e o Banco Nacional por buscar justificativas internas para o aumento da inflação.

"Enfrentamos um aumento descontrolado da inflação. O Banco Nacional e o governo se mostram impotentes e argumentam que se tratam de tendências mundiais. Este tipo de justificativa revelam a vulnerabilidade nacional", disse.

Segundo Tokayev, a tarefa do governo e do órgão financeiro é devolver a inflação aos níveis de 4% a 6%, enquanto neste ano a previsão é de a taxa chegar a 7%. No ano passado, a inflação no Cazaquistão foi de 7,5%.

O presidente ainda destacou a necessidade de garantir a segurança energética do país, já que, segundo dados que apresentou, em 2030 deverá ser iniciado um período de déficit de energia elétrica.

Tokayev disse ter encarregado o governo de estudar, no prazo de um ano, a possibilidade de desenvolver centrais nucleares de maneira segura e ecológica.

"É um assunto complexo. É preciso abordá-lo racionalmente, sem preconceitos ou emoções", afirmou.

Em 2019, a Rússia propôs ao Cazaquistão a construção de uma central nuclear, mas as autoridades cazaques responderam que a decisão sobre o assunto seria tomada a partir da opinião da população.

O tema da produção de energia nuclear é sensível no país, pois, o Cazaquistão, no polígono de Semipalatinsk, foi utilizado durante 40 anos pela União Soviética para realizar testes de armas nucleares.

No pronunciamento de hoje, Tokayev ainda anunciou que, a partir de 1º de janeiro de 2022, haverá aumento do salário mínimo, que passará a variar entre o equivalente a US$ 99,7 (R$ 512,7) e US$ 140,76 (R$ 723,88). EFE

kk-bsi/bg

(foto)