EFECartum

O ex-presidente do Sudão Omar al Bashir, deposto na última quinta-feira pelos militares, foi transferido sob estritas medidas de segurança para a prisão de segurança máxima de Kober, na capital Cartum, informou nesta quarta-feira à Agência Efe uma fonte militar.

Bashir foi transferido na noite de ontem do comando militar, onde permanecia detido, para o presídio de segurança máxima, assinalou a fonte, que pediu anonimato.

O paradeiro de Bashir era desconhecido desde que o exército o afastou do poder e, até agora, a junta militar que dirige o país só tinha informado que ele estava em um "local seguro".

A fonte indicou que a transferência tem como finalidade deixar o ex-presidente em uma "zona muito protegida", sem dar mais detalhes e informações sobre seu estado de saúde.

A prisão de segurança máxima de Kober é uma das mais conhecidas do país africano, onde ficaram presas figuras políticas de destaque.

O exército depôs Bashir após meses de protestos, que começaram em dezembro e se intensificaram nos primeiros dias de abril, devido à crise econômica e ao aumento da inflação e dos preços de alimentos básicos.

A junta militar anunciou que se manterá no poder por um período de dois anos, embora já tenha iniciado um processo de diálogo com os partidos políticos para preparar a transição política no país.

Milhares de pessoas continuam acampadas na rua em frente ao quartel-general do exército para pressionar os militares a entregar o poder para uma autoridade civil.

A Associação de Profissionais Sudaneses, o grupo sindical que liderou os protestos, pediu a formação de um governo civil no qual haja uma representação militar limitada.

Além disso, o grupo opositor pediu a dissolução do Partido do Congresso Nacional de Bashir e a saída das autoridades judiciais e do procurador-geral, que já foi destituído.