EFERoma

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, afirmou nesta quinta-feira que os governos de França, Alemanha, Portugal, Espanha, Romênia e Luxemburgo estão disponíveis para receber parte dos 147 imigrantes que estão no navio da ONG espanhola Open Arms.

A informação foi divulgada por Conte, em mensagem enviada ao ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, que foi publicada nas redes sociais. De acordo com o premiê, a intenção é de trabalhar para que os países europeus estipulem mecanismo permanente de distribuição de imigrantes que estejam na costa da Itália.

"Esse é o momento de insitir na direção de se chegar a uma solução europeia. Caso contrário, a Itália ficará completamente isolada", escreveu o primeiro-ministro.

Conte afirmou ver a presidente eleita da Comissão Europeia, a alemã Ursula von der Leyen, disputa a buscar avançar para resolver a questão da imigração e apoiar os pedidos do governo italiano, de acordo com o que sentiu a partir de conversas que os dois tiveram até hoje.

O primeiro-ministro ainda criticou o discurso de Salvini contra os imigrantes e pediu que o ex-aliado, que segue no ministério, seja leal ao governo. Recentemente, o líder de extrema-direita apresentou moção de censura contra Conte, mas não renunciou a pasta do Interior.

A embarcação da Open Arms está há duas semanas navegando no Mar Mediterrâneo, aguardando a autorização para ancorar em algum porto de país europeu. Neste momento, o navio, com 147 imigrantes a bordo, está na costa de Lampedusa, depois que a justiça italiana tenha cancelado uma proibição de atracamento assinada por Salvini.

Além disso, no Mediterrâneo, ainda está navio Ocean Viking, fretado pelas ONGs Médicos Sem Fronteiras e SOS Mediterrané, que aguardam um porto, tendo 356 imigrantes a bordo.