EFETeerã

Pelo menos 15 pessoas morreram nesta segunda-feira após a queda e o incêndio de um avião de carga do Exército iraniano perto da cidade de Karaj, ao oeste de Teerã, segundo o Ministério para as Situações de Emergência do Irã.

O diretor de gestão de crise desta organização, Mehrdad Ali Bajshi, explicou à agência oficial "IRNA" que os 15 corpos foram enviados ao Instituto Médico Legal da província de Elbruz.

Bajshi afirmou que 10 mortos, entre eles uma mulher, já foram identificados e que os especialistas trabalham na identificação do resto.

No Boeing-707 acidentado viajavam um total de 16 pessoas, uma delas, um engenheiro de voo, sobreviveu ao acidente, embora tenha sido hospitalizado em estado crítico, segundo o porta-voz da Organização de Emergências do país, Mojtaba Khaledi.

A aeronave de carga Boeing-707 tinha decolado da cidade de Bishkek, Quirguistão, e voava rumo ao aeroporto internacional de Payam, na cidade de Karaj, mas por erro começou a aterrissar no aeroporto de Fath, na mesma cidade. O piloto do avião perdeu o controle durante a aterrissagem, saindo da pista e atingido uma zona residencial.

O avião acidentado transportava carne desde a cidade de Bishkek, no Quirguistão, informou o Exército iraniano em comunicado.

Os acidentes de avião são relativamente frequentes no Irã porque a frota aérea é obsoleta por causa das sanções internacionais.

O acidente mais grave ocorrido recentemente aconteceu em fevereiro do ano passado, quando caiu um ATR-72 da companhia aérea iraniano Aseman em uma zona montanhosa do centro do Irã, causando a morte dos 59 passageiros e dos seis membros da tripulação que viajavam a bordo.