EFELondres

A rainha Elizabeth II encorajou as pessoas a se vacinarem contra a Covid-19 e a pensar nos outros, conforme declarado em uma conversa virtual com profissionais da saúde do Reino Unido e divulgado nesta sexta-feira.

A monarca, de 94 anos, e seu marido, o duque de Edimburgo, de 99, foram vacinados em janeiro no Castelo de Windsor, nos arredores de Londres, onde permanecem enquanto continuam as restrições para conter a disseminação do novo coronavírus.

No vídeo, os profissionais da saúde perguntaram à rainha como tinha sido sua experiência no dia da vacinação, ao que ela respondeu: "bom, pelo que eu entendi, foi bastante inofensivo".

"Foi muito rápido e recebi muitas cartas de pessoas que ficaram surpresas com a facilidade de se vacinar", acrescentou Elizabeth II, que usava um vestido rosa e um colar de pérolas de três fios.

A rainha, cujo marido continua hospitalizado por causa de uma infecção, deu a entender que a vacinação pode ser uma experiência "difícil" para algumas pessoas, mas encorajou a população a "pensar nas outras pessoas em vez de nelas próprias".

O vídeo foi divulgado depois que o chefe da Vacinação, Nadhim Zahawi, indicou que entre 11% e 15% das pessoas que receberam o preparo têm dúvidas se devem se vacinar ou não.

Além disso, Elizabeth II, que realizou a conversa virtual na última terça, destacou a velocidade com que o programa de vacinação está progredindo no Reino Unido, que ela descreveu como "notável".

Mais de 18 milhões de pessoas no Reino Unido receberam a primeira das duas doses da preparação - da Pfizer ou da AstraZeneca - e o governo estabeleceu como meta oferecer a primeira dose da vacina a todos os maiores de 50 anos até meados de abril e toda a população adulta em 31 de julho.

De acordo com os últimos dados oficiais, o Reino Unido registrou ontem outras 323 mortes e 9.985 novos casos. EFE

vg/phg