EFELondres

O Reino Unido registrou nesta quinta-feira mais 338 mortes em decorrência da Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, o que elevou o total no país para 36.042.

Além disso, foram contabilizados 2.615 casos de infecção pelo patógeno, a partir da realização de 128.340 testes de diagnóstico.

Diante desses números, a Inglaterra mantém o planejamento de relaxar as medidas de confinamento a partir de 1º de junho, enquanto Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte trabalham com planejamentos próprios para reduzir restrições.

Representantes de centenas de escolas inglesas, por sua vez, já alertaram que não seguirão as recomendações do governo britânico, liderado pelo primeiro-ministro, Boris Johnson, mantendo as portas fechadas no início de junho.

O temor é que não seja possível cumprir as medidas de segurança adequadas nas instituições de ensino e que haja novos focos de infecção pelo novo coronavírus.

Na Escócia, a primeira-ministra, Nicola Sturgeon, anunciou que o relaxamento de medidas será iniciado em 28 de maio, com autorização para saídas de casa e reuniões limitadas de pessoas, mas que as aulas só voltarão em 11 de agosto, com um sistema misto de aulas presenciais e ensino à distância.

O governo do Reino Unido tem planejado que, em dez dias, terá pronto o sistema desenhado para detectar cadeias de contágio, a partir do momento que colocar em vigor medidas menos rígidas. Cerca de 24 mil pessoas foram contratadas para entrevistar por telefone possíveis infectados. EFE

gx/bg