EFEArgel

O presidente do Conselho Constitucional da Argélia, Tayyip Belaiz, apresentou nesta terça-feira sua renúncia ao chefe de Estado interino, Abdelkader Bensalah, informou a agência oficial "APS", sem oferecer detalhes sobre as causas desta decisão que acontece em meio a grandes manifestações populares em todo o país.

"O presidente do Conselho Constitucional, Tayyip Belaiz, informou aos integrantes do Conselho, em reunião realizada nesta terça-feira, que apresentou ao chefe de Estado sua renúncia ao cargo (...) que ocupa desde 21 de fevereiro", afirmou o Conselho em comunicado.

Oriundo da região oeste da Argélia, Belaiz, de 70 anos, era um fiel aliado do ex-presidente Abdelaziz Bouteflika, que o nomeou em fevereiro para o órgão supremo, cuja missão é validar as propostas de candidaturas às eleições presidenciais de 4 de julho e supervisionar a votação.

Esta é a primeira figura a cair do chamado "Triplo B", em referência aos três políticos escolhidos para tutelar a transição - que além de Belaiz inclui o chefe de Estado interino, Abdelkader Bensalah, e o primeiro-ministro e ex-titular de Interior, Noureddine Bedoui -, e que os manifestantes consideram parte "da máfia do poder".

A renúncia de Belaiz coincidiu com um novo protesto de milhares de estudantes que foram às ruas hoje pela oitava terça-feira consecutiva em diferentes cidades do país.

Os protestos começaram em meados de fevereiro contra o quinto mandato de Bouteflika, que estava no poder desde 1999. Após sua renúncia em 2 de abril, o novo desafio é conseguir a saída de todos os que fazem parte do regime e o cancelamento das eleições presidenciais.