EFERiad

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, disse nesta segunda-feira que os líderes da Arábia Saudita lhe garantiram durante sua visita a Riad que os responsáveis pelo assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi prestarão contas à Justiça.

O chefe do Departamento de Estado americano escreveu no Twitter que se reuniu hoje com o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, com quem discutiu "a relação entre os Estados Unidos e a Arábia Saudita", assim como "a responsabilidade pelo assassinato de Jamal Khashoggi".

No entanto, nem as instituições oficiais sauditas nem os veículos de imprensa informaram se o príncipe herdeiro tratou do caso Khashoggi com Pompeo, que visita pela segunda vez a Arábia Saudita após o assassinato.

No dia 3 de janeiro, aconteceu a primeira audiência do julgamento dos 11 acusados pelo crime e o Ministério Público saudita pediu a pena de morte para cinco deles, sem identificá-los.

Khashoggi foi assassinado em 2 de outubro no consulado saudita em Istambul (Turquia), aonde compareceu para recolher documentos para poder se casar com sua noiva turca.

Riad admitiu o homicídio, mas não esclareceu o que aconteceu com o corpo do jornalista.

As autoridades turcas afirmam ter provas de que Khashoggi foi asfixiado e teve seu corpo esquartejado para fazê-lo desaparecer.