EFEMoscou

O porta-voz do Ministério do Interior da Rússia, Igor Konashenkov, informou nesta quinta-feira que o país mantém mais de 6 mil militares da Ucrânia como prisioneiros, um dia após a maior troca realizada entre os dois países.

Ontem, foi divulgado ue 144 militares de cada lado, que tinham sido capturados, tinham sido trocados, conforme anunciaram inicialmente as autoridades pró-russas em territórios originalmente ucranianos e de Kiev.

O próprio Konashenkov confirmou hoje a operação de troca, ao anunciar o boletim diário de guerra do Ministério de Defesa russo.

"O número total de militares ucranianos capturados ou rendidos é de mais de 6 mil".

Ontem, a Ucrânia liberou 144 combatentes separatistas da autoproclamada república popular de Donetsk, enquanto a Rússia e os pró-russos entregaram a Kiev 144 militares ucranianos.

Entre este último grupo estão 95 integrantes da resistência da siderúrgica de Azovstal, em Mariupol, sendo 43 filiados ao Batalhão de Azov.

No último dia 7, o ministro da defesa da Rússia, Serguey Shoigu, afirmou que o exército havia capturado 6.489 militares ucranianos ao longo do conflito armado iniciado em 24 de fevereiro. EFE