EFEMoscou

A Rússia restringirá a entrada de estrangeiros procedentes de Hong Kong e alguns países do sul da África a partir deste domingo devido ao surgimento de uma nova variante do coronavírus na África do Sul, identificada como B.1.1.529.

A medida afetará cidadãos de África do Sul, Botsuana, Lesoto, Namíbia, Zimbábue, Moçambique, Madagascar, eSwatini (antiga Suazilândia), Tanzânia e Hong Kong, disse o centro operacional de combate ao coronavírus.

A decisão será também aplicável aos estrangeiros que tenham permanecido nestes países durante os últimos dez dias.

A agência russa de defesa do consumidor Rospotrebnadzor também terá de organizar testes rápidos para os cidadãos russos que retornam destes países, assim como de Reino Unido, China e Israel, disse a agência "Interfax".

Rospotrebnadzor disse que a nova variante do coronavírus ainda não foi detectada na Rússia, mas que existe a possibilidade da sua importação.

Identificadas pela primeira vez em 11 de novembro, já foram encontradas cerca de 30 mutações da variante em locais como África do Sul, Botswana e Hong Kong, o que gerou preocupação e a reimposição de restrições em alguns países sobre os viajantes do sul da África.

A Bélgica, que sedia instituições da UE, relatou nesta sexta-feira que um caso da nova variante africana foi detectado no país em 22 de novembro, em uma jovem adulta não vacinada que desenvolveu sintomas 11 dias depois de viajar para o Egito através da Turquia. EFE