EFEBudapeste

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, se reunirá na próxima segunda-feira em Budapeste com o primeiro-ministro da Hungria, o nacionalista Viktor Orbán, informou nesta quinta-feira o Ministério das Relações Exteriores do país europeu em comunicado.

Esta será a primeira visita de um secretário de Estado americano desde a efetuada em 2011 pela então titular, Hillary Clinton, e Pompeo também será recebido pelos ministros de Relações Exteriores, Péter Szijjártó, e da Defesa, Tibor Benkö.

As relações entre os dois países "melhoraram ainda mais desde a chegada ao poder do governo republicano (do presidente Donald Trump), destacou Szijjártó no comunicado.

Essas relações "experimentaram um grande impulso devido ao fato de os dois países (...) rejeitarem a imigração ilegal, o que ficou evidente depois que ambos foram os que mais decididamente se opuseram ao Pacto Mundial de Migração", acrescentou o ministro húngaro na nota.

No entanto, a imprensa local também repercutiu informações divulgadas através dos veículos de imprensa americanos, segundo as quais há também entre Budapeste e Washington alguns assuntos espinhosos, como a posição favorável do governo de Orbán para Rússia e China.

"Os Estados Unidos estão perdendo sua confiança na Hungria, já que o governo húngaro é mais neutro em relação à China e à Rússia do que consideraria necessário", segundo o site "hvg.hu".

Outro ponto de discórdia tem a ver com a adoção na Hungria de uma lei que obrigou a Universidade Centro-Europeia, fundada pelo magnata americano de origem húngara George Soros, a deixar sua sede em Budapeste.

Orbán foi o único chefe de governo da União Europeia (UE) que apoiou Trump durante a sua campanha eleitoral, antes que o magnata vencesse as eleições de 2016.