EFELondres

O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, encerrou sem acordo as conversas com o governo sobre o "brexit", segundo explicou em carta aberta enviada nesta sexta-feira à primeira-ministra, Theresa May.

No documento, o líder do principal partido de oposição afirma que não faz sentido seguir com os contatos diante da instabilidade no poder, o que dificulta se chegar a um acordo.

A chefe do Governo e o político de esquerda iniciaram há seis semanas negociações em uma tentativa de chegar a um acordo sobre o "brexit" que pudesse superar o trâmite parlamentar, depois que o pacto com Bruxelas foi rejeitado três vezes pela Câmara dos Comuns.

"As conversas entre ambas as partes foram o mais longe possível, mas não conseguimos superar as grandes diferenças políticas entre nós", acrescentou Corbyn.

Ao se referir às brechas internas no Partido Conservador, Corbyn indicou que "a posição do governo ficou cada vez mais instável e sua autoridade foi comprometida", o que dificulta a possibilidade de se fechar um acordo de compromisso sobre os termos da saída britânica da União Europeia (UE).

O fracasso das negociações entre os partidos foi revelado depois que a primeira-ministra aceitou ontem elaborar um calendário para deixar o poder assim que os deputados tenham a oportunidade de votar pela quarta vez o acordo do "brexit" na semana que começa em 2 de junho.

Na carta, Corbyn mencionou que muitas vezes as propostas da equipe negociadora do governo foram rechaçadas abertamente por declarações de outros membros do governo.

No entanto, o político ressaltou que as conversas foram "detalhadas", "construtivas" e aconteceram com "um considerável esforço por parte de ambas as equipes", mas manifestou sua decepção por não ter conseguido superar as diferenças.

O líder do Partido Trabalhista reiterou que analisará "cuidadosamente" as propostas feitas pelo governo para romper com o atual bloqueio do "brexit", mas insistiu que manterá por enquanto sua oposição ao texto pactuado entre Londres e Bruxelas.

"Agradeço a todos aqueles envolvidos em nossos esforços para encontrar um terreno comum", acrescentou Corbyn.