EFESeul

O governo da Coreia do Sul tem a esperança que a ruptura de contatos com a Coreia do Norte não será permanente apesar dos duras mensagens lançadas nos dois últimos dias pelo regime de Kim Jong-un.

"Não houve nenhuma menção sobre a ruptura completa do diálogo", disse, nesta sexta-feira, à agência de notícias "Yonhap", um representante do gabinete presidencial sul-coreano, após as palavras pronunciadas ontem pelo chefe de assuntos intercoreanos do regime.

Ri Son-Gwon, que dirige o Comitê para a Reunificação Pacífica da Coreia, disse em uma nota publicada pela agência estatal norte-coreana que "não será fácil sentar-se frente a frente novamente com o atual regime da Coreia do Sul".

Pyongyang suspendeu, na última quarta-feira, uma reunião de alto nível com Seul argumentando que as manobras conjuntas realizadas pela Coreia do Sul e EUA supõem um teste para invadir o território norte-coreano e que, além disso, complicam a realização da cúpula entre o líder Kim Jong-un e o presidente americano, Donald Trump.

Seul pediu ao regime na última quarta-feira que retorne para a mesa de diálogo e implemente o que foi estipulado por Kim e o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, na sua declaração do final de abril.