EFEParis

O cingalês Ahmed Milhan Hayathu Mohammed, de 29 anos, suposto responsável pelos atentados de 21 de abril contra igrejas cristãs e hotéis de luxo de diferentes cidades do Sri Lanka, nos quais morreram 321 pessoas e 521 ficaram feridas, foi detido no Oriente Médio, informou nesta sexta-feira a Interpol.

Junto a Mohammed, foram detidos outros quatro suspeitos, que não tiveram as nacionalidades reveladas. De acordo com um comunicado da Interpol, que não revelou os locais onde ocorreram as detenções, todos foram extraditados nesta sexta-feira ao Sri Lanka.

Mohammed era procurado por terrorismo e por assassinato e foi detido como resultado da emissão de um "alerta vermelho" da Interpol, que permitiu à polícia dos países da organização trocar informações cruciais sobre crimes e suspeitos.

A notificação levou ao desdobramento entre 23 de abril e 22 de maio de uma equipe de intervenção da Interpol, a primeira internacional a chegar a Colombo depois dos ataques reivindicados pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e que aconteceram durante a festividade cristã do Domingo de Páscoa.

Atentados desta magnitude não aconteciam no Sri Lanka desde a guerra civil entre a guerrilha tâmil e o Governo, um conflito que durou 26 anos, terminou em 2009 e que deixou, segundo dados da ONU, mais de 40 mil civis mortos.