EFELima

Pelo menos 41 pessoas ficaram feridas, três delas gravemente, após um terremoto de 6,1 graus na escala Richter ter abalado nesta sexta-feira a região de Piura, no norte do Peru.

Após o forte terremoto, que foi sentido às 12h10 (local, 14h10 de Brasília), o presidente peruano, Pedro Castillo, deixou o tradicional desfile militar para as celebrações da independência e partiu para Piura, uma região localizada cerca de 990 quilômetros ao norte de Lima.

O diretor do hospital na cidade de Sullana, a 12 quilômetros do epicentro do terremoto, disse à emissora de televisão "Canal N" que 35 pacientes haviam sido tratados até agora. Já o diretor regional de saúde de Piura, José Nizama, acrescentou que mais seis pessoas feridas haviam sido atendidas na capital regional.

A grande maioria das pessoas afetadas sofreu contusões menores, embora três tenham sofrido lesões mais graves, incluindo uma mulher grávida, um homem adulto e uma menina de dois anos.

O diretor do hospital Sullana relatou que 15 dos feridos já tiveram alta, enquanto outros permanecem sob observação, em alguns casos por fraturas. A gestante teve que ser submetida a uma cirurgia por traumatismo facial.

De acordo com a imprensa local, foi atingida na queda de uma parede, enquanto o homem sofreu um trauma, e a menina caiu do primeiro andar enquanto tentava sair de casa.

O Centro Nacional de Operações de Emergência (COEN) reportou desmoronamentos e deslizamentos de terra na praia La Esmeralda, danos à infraestrutura pública e a casas nos distritos de Sullana e Tambo Grande, em dois templos nas províncias de Paita e Sechura, e nas sedes dos bombeiros de Sullana, Chulucanas, Marcavilca e Bellavista.

O Instituto Geofísico Peruano (IGP) informou que houve dois tremores secundários, o primeiro às 14h37 (local, 16h37 de Brasília), com uma magnitude de 3,9, e o outro às 15h14 (local, 17h14 de Brasília), com uma magnitude de 4,9. EFE

dub/dr