EFELondres

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, insistiu nesta sexta-feira que o ex-titular de Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, que renunciou nesta semana em desacordo com a estratégia governamental do Brexit, seria "um grande primeiro-ministro".

Trump fez essas declarações em entrevista coletiva com a primeira-ministra britânica, Theresa May, que sorriu enquanto o líder americano apoiava Johnson, partidário de um Brexit - a saída britânica da União Europeia (UE) - duro, que rompa com os vínculos comunitários.

"(Johnson) é muito agradável comigo. Disse coisas muito boas de mim como presidente", declarou Trump ao término de uma reunião bilateral com May na residência oficial da premiê em Chequers (sudeste da Inglaterra), dentro de sua primeira visita oficial ao Reino Unido.

"Acredito que (Johnson) considera que estou fazendo um grande trabalho. E estou fazendo um grande trabalho, posso garantir, se não, já teriam se dado conta", disse Trump, que, em seguida, acrescentou: "Boris Johnson, eu acredito, seria um grande primeiro-ministro".

Trump emitiu essa mesma opinião em uma polêmica entrevista divulgada hoje pelo jornal britânico "The Sun", na qual critica a estratégia do Brexit de May e adverte que a mesma "matará" a possibilidade de um acordo comercial entre EUA e Reino Unido.

No entanto, Trump minimizou sua postura na entrevista coletiva de hoje ao assinalar que "o que o Executivo do Reino Unido fizer em relação ao Brexit será bom", desde que isso assegure a possibilidade de fechar um acordo comercial "justo" com os Estados Unidos. EFE

jm/rpr