EFEIstambul

As forças da Turquia capturaram, na Síria, a esposa de Abu Bakr al-Baghdadi, líder do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), que morreu há menos de duas semanas durante uma operação dos Estados Unidos, anunciou nesta quarta-feira o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

"Baghdadi cometeu suicídio em um túnel. Eles (Estados Unidos) fizeram uma grande campanha de comunicação com isto. Nós prendemos sua esposa, mas não fizemos nenhum alarde sobre isso", afirmou o presidente, durante um discurso em Ancara, capital do país.

Ontem, a Turquia anunciou a captura da irmã do terrorista, Rasmiya Awad, 65 anos, além de seu marido, cunhada e cinco filhos, perto de Azaz, uma cidade síria que fica a 15 quilômetros da fronteira turca. Erdogan repetiu hoje essa informação, mas sem fornecer novos detalhes.

Ainda no dia de ontem, o presidente disse que Rasmiya foi levada após sua detenção para um centro de deportação e que "um processo legal" foi iniciado nesse sentido.

Os EUA anunciaram no dia 27 de outubro a morte de Baghdadi durante uma operação das forças especiais americanas na Síria, e o próprio EI confirmou a notícia na última quinta-feira.