EFELondres

Uma única dose de uma vacina desenvolvida pela parceria entre aa Pfizer e BioNTech pode reduzir em 75% o número de infecções assintomáticas pelo coronavírus, segundo um estudo divulgado nesta sexta-feira pela Universidade de Cambridge.

Os dados vieram da análise dos resultados de milhares de testes PCR realizados no hospital de Addenbrooke, em Cambridge na, Inglaterra, entre 18 e 31 de janeiro.

Ao considerar os testes daqueles que haviam sido vacinados em comparação com aqueles que ainda não tinham sido imunizados, os pesquisadores descobriram que o risco de encontrar um caso assintomático foi reduzido em 75% a partir do 12º dia após a administração da primeira dose.

"Esta é uma grande notícia. A vacina da Pfizer não só impede o desenvolvimento da doença a partir do SARS-CoV-2, mas também ajuda a prevenir infecções, reduzindo o potencial de transmissão do vírus", declarou Mike Weekes, um especialista em doenças infecciosas da Universidade de Cambridge, em um comunicado.

O governo britânico sugeriu nesta semana que dados obtidos do programa de vacinação do Reino Unido até agora sugerem que a decisão de adiar a segunda dose tanto da vacina da Pfizer quanto da AstraZeneca por três meses pode ser efetiva. As autoridades tomaram a medida para tentar maximizar o grau de imunidade o mais rápido possível.