EFEAstana

O Fundo Mundial para a Natureza (WWF, por sua sigla em inglês) dedicará 10 milhões de euros à reintrodução dos tigres no Cazaquistão, anunciou nesta sexta-feira o vice-ministro de Agricultura cazaque, Askar Myrzahmetov.

"No próximo ano, temos a intenção de atribuir 117 milhões de tenges (cerca de 288 mil euros) no orçamento para este fim. A WWF participará ativamente no financiamento, destinando anualmente 10 milhões de euros para a execução deste projeto", disse Myrzakhmetov.

O Cazaquistão e a WWF assinaram hoje um memorando para a implementação de um programa conjunto de reintrodução de tigres na região cazaque de Balkash.

"O Cazaquistão está avançando no caminho do desenvolvimento verde. Nos sentimos honrados de ser o primeiro país da Ásia Central a implementar um projeto tão importante que não só levará os tigres selvagens a seu lar ancestral, mas também protegerá o ecossistema único da região de Balkash", disse Myrzakhmetov.

"É uma contribuição importante para assegurar um futuro para os tigres em estado selvagem e também um passo para proteger a região de Ili-Balkash por sua biodiversidade única e importantes sistemas naturais", acrescentou o diretor-geral da WWF, Marco Lambertini.

Para preparar o retorno dos tigres selvagens, a partir de 2018 o Governo cazaque estabelecerá uma nova reserva natural em Balkash, a fim de restaurar o hábitat ribeirinho único junto ao lago que dá nome à região.

Isto incluirá a proteção da fauna selvagem existente e a reintrodução de importantes espécies para a alimentação do tigre, como o asno selvagem asiático e o Camelo-bactriano, originários da Ásia Central, mas agora estão extintos no Cazaquistão devido à caça ilegal e à perda de hábitat.

O retorno dos tigres também ajudará a proteger o lago Balkash - um dos maiores lagos da Ásia e uma importante fonte de água na bacia do rio Ili.