EFEJohanesburgo

A África do Sul decidiu equiparar as gratificações das seleções masculina e feminina de futebol para seus próximos torneios internacionais, segundo informaram nesta sexta-feira à Agência Efe fontes da associação de futebol do país (SAFA, na sigla em inglês), que se transforma assim em uma das pioneiras mundiais em igualdade.

As jogadoras da Banyana Banyana, alcunha pela qual ficou conhecida a seleção sul-africana feminina, ganharão o mesmo que seus colegas da Bafana Bafana em função dos objetivos que alcançarem suas equipes no Mundial da França de 2019 e na Copa da África de 2019, que será realizada no Egito, respectivamente.

Concretamente, cada atleta receberá dos patrocinadores cerca de 320.000 rands (quase US$ 20.000) se conseguirem ficar entre as 16 melhores equipes, 670.000 rands (US$ 41.000) por chegar à semifinal e até 920.000 rands (US$ 57.000) se ganharem as competições.

"Isto é um passo para o fechamento da lacuna salarial entre os homens e as mulheres jogadores neste país e é um dia feliz para o futebol sul-africano", afirmou Danny Jordaan, presidente da SAFA, segundo o jornal local "Times".

Por sua parte, a capitã da Banyana Banyana, Janine van Wyk, agradeceu a decisão tomada às vésperas da viagem para a França, onde a África do Sul disputará um Mundial feminino pela primeira vez na sua história.

"É verdadeiramente incrível, como sabem estivemos lutando muito tempo pela igualdade no esporte", afirmou Van Wyk, citada também pelo "Times".

A África do Sul se coloca assim junto aos países pioneiros a abordar a diferença salarial, uma batalha na qual a Noruega deu o primeiro passo em 2017 ao anunciar que os jogadores das seleções feminina e masculina teriam os mesmos salários.

Também nos Estados Unidos o assunto está sobre a mesa e teve um forte impacto midiático este ano, depois que a seleção feminina desse país - que tem um histórico muito melhor que a masculina - apresentou um processo contra a federação de futebol americana por discriminação de gênero.

Por causa disso, a companhia esportiva Adidas anunciou no último mês de março que "todas as atletas da equipe vencedora do Mundial" da França, se vestirem sua marca, receberiam as mesmas gratificações que paga aos homens.

O Mundial da França acontecerá entre os dias 7 de junho e 7 de julho e a África do Sul enfrentará a Espanha na sua partida de estreia.

A Copa da África 2019, por sua parte, acontecerá no Egito entre 21 de junho e 19 de julho e a África do Sul disputará seu primeiro jogo diante da Costa do Marfim em 24 de junho. EFE

ngp/rsd